Bem vindo ao GGames

Registre-se agora para obter acesso a todos os nossos recursos. Uma vez cadastrado e logado, você será capaz de criar tópicos, postar respostas a tópicos já existentes, dar reputação a seus companheiros, obter seu próprio mensageiro privado, postar atualizações de status, gerenciar seu perfil e muito mais. Esta mensagem será removida depois de você ter feito login.


Renato Ribeiro

[E] Estagiários
  • Total de itens

    45
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    3

Renato Ribeiro venceu a última vez em Junho 14

Renato Ribeiro had the most liked content!

Reputação

14 Ótimo

Sobre Renato Ribeiro

  • Data de Nascimento 15-04-1996

Últimos Visitantes

51 visualizações
  1. Em entrevista exclusiva para a Draft5.gg o jogador Marcelo "coldzera" David confirmou que estão indo para uma nova organização e que estão em busca de um novo treinador. Os rumores de ida para a mibr seguem se confirmando. Além disso, ele falou sobre a falta de confiança da equipe nos últimos meses e a adaptação ao inglês com a entrada de Jacky "Stewie2K" Yip. Fonte: Draft 5
  2. A Vivo Keyd venceu a INTZ nesta sexta-feira (15) e assim permanece invicta no topo da tabela do CBLoL 2018. O Mais e-Sports conversou com Luan “Jockster” Cardoso, suporte da equipe, sobre a mudança repentina do meta, bootcamp na Coreia, adversários que podem surpreender e mais. Confira: Pergunta: O que está acontecendo com a botlane para ocorrer tantas mudanças nos picks do meta? Jockster: Sinceramente eu não entendi muito bem ainda, acho que as coisas estão acontecendo naturalmente. Quando mudou os itens dos ADCs os jogadores começaram a procurar outras alternativas, porque um ADC de crítico por exemplo não estava ficando forte muito rápido. Então começaram usar Kai’sa e Ezreal, depois perceberam que Yasuo estava muito forte e era counter desses dois dai começaram a jogar de Yasuo, depois perceberam que Irelia era counter de Yasuo, então essas descobertas foram acontecendo e hoje estamos jogando até com magos no bot, acho que é algo de counter pick mesmo, você testar e ver se é bom para aperfeiçoar. Eu não tenho um entendimento muito bom ainda porque não conseguimos jogar muito ainda, mas está uma ‘doidera’ (risos). Pergunta: E como fica o papel do suporte agora? Jockster: Essas lanes de hoje é algo que facilita muito o jogo do suporte porque basicamente você quer puxar a wave de minions e isso dá liberdade para o suporte rodar o mapa, ajudar o jungler e o mid, então o papel de suporte hoje é é basicamente ser o único engage do time porque nessas novas composições temos muito campeões que não tem engage, o único que realmente está funcionando bem e tem algum tipo de engage é a Camille, então o papel do suporte é basicamente ter engage, ajudar puxar a wave e rodar o mapa para ajudar seu time. Pergunta: Você prefere que o meta volte ao “normal” ou que continue como está? Jockster: Por mim tinha que voltar ao normal porque o timing desse meta foi meio infeliz, claro que não é culpa da Riot, eu acho que a mudança que eles fizeram nos ADCS foi justa mas tem muita coisa que eles já tinham feito antes que em conjunto e junto as mudanças nos ADCS, acabou mudando tudo de uma vez. Eu acho que o timing foi bem ruim principalmente porque estávamos perto de um campeonato tão importante pra gente como o CBLoL, agora com a escalada é muito importante a gente ganhar todos os jogos possíveis, então essa mudança foi algo que pra mim não precisava e poderia voltar ao normal logo porque influenciou de uma maneira muito ruim as partidas. Pergunta: Quando vocês estavam na Coreia o patch estava diferente, então vocês não jogaram com essas escolhas diferentes lá. Você acha que isso pode ter prejudicado vocês no CBLoL? Jockster: Pra ser sincero eu acho que esse bootcamp ajudou muito a gente mesmo com essa mudança de patch. Na coreia as filas ranqueadas tem um nível muito alto, então conseguimos aprender muita coisa, melhorar nossa mecânica muito mas do que eu acho que melhoraríamos aqui no brasil, tomadas de decisão entre outras coisas. Particularmente eu aprendi muito sobre o jogo de visão, onde ‘wardar’, quando ‘wardar’, quando voltar para pegar mais wards, então eu acho que se tivéssemos ficado aqui no Brasil não teríamos aprendido tanto quanto aprendemos lá. Pergunta: Muitos estão colocando vocês como o time mais forte do CBLoL no momento. Para você, qual o time que mais pode “ameaçar” vocês na competição? Jockster: Pra mim era a INTZ, eles são um time muito bom e nós estávamos sempre prestando atenção neles. Eles ganharam da KaBuM semana passada jogando muito bem e com um draft muito bom, então eles eram o maior desafio pra gente mas felizmente conseguimos vencê-los. O próximo adversário que temos que ter cuidado é a CNB, eles estão conseguindo se adaptar muito bem ao patch e tem dois mid laners, então se precisarem botar algum mid na rota inferior pra jogar algum mago eles podem ter alguma vantagem, então acho que eles vão ser o maior desafio daqui pra frente. A Vivo Keyd enfrentará a IDM no dia 24 de junho. Fonte: Mais Esports
  3. O time do jogador teve a sua primeira vitória neste 2° split do CBLOL 2018. Confira toda a entrevista abaixo: Podemos falar que o Flamengo estreou de verdade hoje? brTT: Diria que sim. Nas nossas duas vitórias nós mostramos um jogo bem convincente, diferente de como foi na primeira semana. Não tivemos muitos erros de comunicação e rotação, algo que tivemos que melhorar bastante da primeira para a segunda semana. Então, mostramos bastante melhora e o Flamengo está vindo para o título. Você acredita que vocês melhoraram muito da primeira semana para essa ou a KaBuM é quem está dando uma caída? brTT: Melhoramos bastante. Os resultados dos treinos estão sendo muito bons. Para mim, o que acontece no stage é mais ou menos o reflexo dos treinos. Se você não estiver indo bem nos treinos, é difícil chegar aqui [no estúdio] com a cabeça boa e preparado para vencer. Estamos indo bem nos treinos e conseguindo entender o meta agora. Vocês solucionaram os problemas internos que tinham no Flamengo na semana passada? brTT: É, teve isso também. Tem o fato que nesta semana conseguimos treinar realmente, em todos os dias da semana. Foi um empecilho bem grande pois ficamos três dias sem treinar na semana passada. Felizmente resolvemos isso tudo, todo mundo está feliz e estamos treinando bem. Bola para frente. Além disso, o que vocês corrigiram dentro do jogo de vocês? brTT: Eu não diria corrigido. Nós somos um time que tem que falar três línguas dentro do jogo. Uma coisa bem complexa, bem difícil de se fazer e executar com perfeição. Então, foi uma coisa que nós sabíamos que teríamos dificuldade a partir da primeira semana com os treinos. Mas nós estamos trabalhando a cada dia para trabalhar melhor essa comunicação, saber a melhor forma de trabalhar. E cara… Eu diria que a comunicação fluiu muito bem nesse jogo, eu estou até impressionado depois dos jogos. Estou muito feliz. Você jogou contra o Titan, um jogador que sempre deixou bem claro ser um fã seu. Como foi jogar contra ele? brTT: Foi legal jogar contra o Titan. É um jogador que eu respeito bastante! Por mais que ele seja muito novo, ele já tem uma mecânica muito boa e já entende bastante do jogo já. Como eu sempre falo, é só questão de experiência mesmo, de tempo, para ele se tornar realmente o melhor. Ele está vindo em uma crescente muito boa e é sempre bom jogar contra jogadores muito bons, ainda mais quando você sai ganhando na laning phase. O Titan foi para o top na última partida. Vocês esperavam isso? brTT: Não. Em nenhum momento a gente esperava o Titan jogando no top, até mesmo porque ele é a referência do time como ADC e geralmente um jogador que carrega bastante as partidas. Quando ele foi para o top nós ficamos impressionados, mas só focamos em fazer o nosso e esquecemos isso. Você tem 7 anos como atirador e agora você está jogando em um meta maluco. Isso te atrapalha de alguma forma? brTT: Com certeza atrapalha né? Você está acostumado a jogar em uma posição em que você já treinou a sua vida toda. Mas eu gosto bastante disso, dos desafios. Tanto que já tentei jogar jungle, já tentei jogar top. E eu estou gostando bastante. Joguei de Mordekaiser, Brand e fui bem nas duas partidas com os campeões. Eu estou de boa, eu acho que a bot lane poderia ser um pouco mais impactante no jogo, acho que está muito pouco. Mas eles vão mudar isso. Tem algum recado para seus fãs? brTT: Quero só agradecer pela torcida de sempre, pelo apoio que eles nos dão. Mesmo na derrota, eles estão sempre com a gente. Isso é muito importante para o time, ter esse apoio para nos colocar para cima. Em um dia que a gente está mal e ler uma mensagem de apoio, é sempre muito bom. Só gostaria de agradecer eles por todo esse apoio. Fonte: Mais Esports
  4. A Ubisoft anunciou na última quarta-feira (14) a abertura das inscrições para a etapa de classificação ao Circuito Feminino de Rainbow Six. A competição contará com quatro equipes na fase final, que será disputada presencialmente no Rio de Janeiro entre os dias 20 e 22 de julho, no Geek & Game Rio Festival. As inscrições podem ser realizadas através desse link até o dia 22 do mês de junho, ao meio-dia. A primeira fase do campeonato está marcada para os dias 25 e 26 de junho. Essa etapa acontecerá online, em MD1 e com o formato suíço. Durante a fase classificatória, as partidas contarão com dez rodadas, sem a possibilidade de prorrogação, diferente dos ‘playoffs’ que acontecerão em formato MD3, com sistema de eliminação simples e com o ‘overtime’. A iniciativa faz parte de um projeto que tem como objetivo incentivar o cenário feminino da modalidade e trazer oportunidades para que as jogadoras possam participar de eventos presenciais de grande porte. Outros eventos, com o mesmo intuito, devem ser anunciados ainda em 2018. Fonte: Mais Esports
  5. Eliminada! Na tarde desse sábado (16), a SK Gaming se despediu da ESL One Belo Horizonte. Mesmo com o apoio imensurável da torcida, que gritou, cantou e vibrou, o time brasileiro foi derrotado pela Mousesports por dois mapas a zero. Dust2 Na primeira partida, jogada na Dust2, a SK Gaming foi surpreendida pelo controle de mapa da Mousesports. Com liberdade para flutuar, Chris “chrisJ” de Jong fez a diferença com seus avanços e ajudou sua equipe a finalizar o primeiro half vencendo pro 11-4. Após a troca de lados, a equipe brasileira tentou reagir, mas não foi capaz de superar o adversário. A Mousesports continuou melhor e não teve muitos problemas para quebrar a defesa da SK Gaming e fechar o mapa por 16–7. Train No segundo mapa, Train, a SK Gaming tinha o controle do jogo em suas mãos, mas acabou sendo derrotada. Começando do lado contraterrorista, o time brasileiro foi muito bem. Com muita competência, a SK segurou os alemães e saiu na frente na minha primeira etapa, 10-5. Já na segunda etapa, os brasileiros se perderam. Muito confusos na execução das suas táticas, a SK Gaming não foi capaz de quebrar a defesa da Mousesports. Aproveitando disso, os alemães fecharam o mapa por 16–12 e a série por dois mapas a zero. Sequência Com a derrota, a SK Gaming está eliminada da ESL One Belo Horizonte. Agora, os brasileiros concentram suas atenções para a disputa da ESL One Cologne, que acontece entre os dias 3 e 8 de julho. Fonte: Mais Esports
  6. A KaBuM anunciou nesta sexta-feira (15) o seu mais novo reforço para o segundo Split do CBLoL 2018. Após a saída do treinador canadense Jean-François “Nuddle“ Caron, a equipe anunciou o sul-coreano Lee “Hiro” Woo Seok como novo treinador da equipe. Hiro foi jogador profissional entre os anos de 2011 e 2013, e teve passagens pela NaJin e-mFire, Najin Shield, KT Rolster A entre outros. Após virar treinador, Hiro comandou equipes chinesas como a Team WE, QG Reapers, Newbee e em seu trabalho mais atual, a SinoDragon Gaming. O treinador sul-coreano obteve ótimos resultados quando trabalhou com a QG Reapers, conseguido o segundo lugar da LPL Summer 2015. “Durante o processo de seleção, além de conversar com alguns especialistas do cenário, havia uma unanimidade de que Hiro, com todo o histórico que apresenta, é certamente o técnico mais experiente da história do CBLOL”, comentou Guilherme Fonte, diretor de eSports da KaBuM. Hiro chega com o grande desafio de ajudar a KaBuM a manter o título do CBLoL em suas mãos. Após a saída de Nuddle, Gabriel “Halier” Garcia tinha assumido a posição de Coach temporário e comandou a equipe na primeira rodada do segundo Split do CBLoL 2018, ocasião onde acabaram perdendo para a INTZ por 2-1. Confira a line-up completa da KaBuM até o momento: Luccas “Zantins” Zanqueta – Top Henrique “KZ” Monteiro – Topl Filipe “Ranger” Brombilla – Jungler Guilherme “Atlanta” Matos – Midl Matheus “Dynquedo” Rossini – Midl Alexandre “TitaN” Lima – ADC Marcelo “Riyev” Carrara – Support Willyan “Wos” Bonpan – Support Lee “Hiro” Woo-suk – Head Coach Gabriel “Halier” Garcia – Assistente de Coach Fonte: Mais Esports
  7. O jogador comenta sobre a torcida brasileira: “A torcida brasileira é a torcida mais barulhenta que você conseguirá encontrar em todo o mundo. Eles fazem muito barulho!” Rain também explica que é a segunda vez que ele vem para o país mas na última vez, ele não conseguiu avançar para a etapa principal e portanto, não jogou com a torcida. Ao ser questionado se ele está preparado para jogar contra a torcida, ele responde: “Bem, se não estivermos jogando contra a SK, acredito que a torcida estará do nosso lado… Eu espero.” Ele também comentou ao Mais e-Sports que deseja jogar contra a SK Gaming na final. Perguntamos se ele gostaria de aplicar o “The Librarian¹” desta vez, contra a SK Gaming no Brasil. O jogador riu e comentou “Deixar eles em silêncio? Não acho que este lugar vai ficar em silêncio em nenhum momento, independente do que aconteça.” 1 – The Librarian: O meme surgiu quando um torcedor da SK Gaming em uma entrevista comentou que Fallen deixaria toda a torcida (que estava contra a SK) quetos e o local iria ficar igual uma biblioteca. Fonte: Mais Esports
  8. Com o apoio incondicional da torcida, a SK Gaming venceu a equipe turca da Space Soldiers por 2 a 0 nesta sexta-feira (15), na ESL One Belo Horizonte. A equipe brasileira está classificada para os ‘playoffs’ da competição. Os brasileiros encaram a mousesports em busca da vaga à final. A Space Soldiers escolheu a Cache, mapa que tinham uma invencibilidade de 19 meses. A SK começou a partida no lado Terrorista e os brasileiros saíram na frente do placar. Novamente em Belo Horizonte, o 7 a 1 deu o ar da graça, dessa vez favorável a equipe da casa. A Space Soldiers tentou reagir no final da primeira metade, mas pontou apenas mais três vezes. A SK virou de lado com a mesma vantagem do primeiro confronto entres os times: 11-4. Na segunda metade, a equipe turca voltou à partida. A Space Soldiers precisava de uma nova virada pra cima dos brasileiros para sair na frente da série. Mesmo com um segundo tempo superior, a equipe da Turquia não repetiu o feito e a SK fechou o mapa em 16-14. O lendário mapa Dust2 foi palco do segundo confronto. Os brasileiros iniciaram o confronto no lado atacante e fez um começo de partida equilibrado, com vantagem para os turcos: das sete primeiras rodadas, a Space Soldiers venceu cinco. A SK venceu todos os pontos seguintes e fechou a primeira em 10-5. Gabriel “FalleN” Toledo e seus companheiros, visando a classificação aos ‘playoffs’, fizeram um segundo tempo quase perfeito. A equipe brasileira permitiu apenas um ponto dos turcos e fechou a partida em 11-6. A confiança passada pela torcida aos atletas foi fundamental para a vitória dentro de casa. A SK volta a jogar no Mineirinho neste sábado (16) a partir das 14:50 contra a mousesports. Fonte: Mais Esports
  9. FaZe Clan e Space Soldiers se enfrentaram valendo vaga nos playoffs da ESL One: Belo Horizonte. A equipe europeia foi superior e avançou para a semifinal. Já os turcos, enfrentam a SK Gaming amanhã, decidindo a segunda colocação do grupo A. FaZe Clan 2 vs. 0 Space Soldiers FaZe Clan 16 vs. 9 Space Soldiers – Inferno Começando de TR, a Space Soldiers foi quem venceu o pistol. Consequentemente, venceu os antiecos ficando com vantagem no placar. O armado, também foi garantido pela equipe turca, mas na sequência, Finn "karringan" Andersen chegou pelas costas de seus adversários, fazendo tripla eliminação, garantindo o primeiro ponto de sua equipe. Os turcos confirmariam a vitória na primeira metade após marcar 8x1 no placar, deixando os europeus em apuros. No entanto, a FaZe entrou no jogo e começou a marcar vários pontos em sequência. O primeiro half terminou em 8x7. O segundo pistol foi vencido novamente pela Space Soldiers, mas a FaZe venceu o round seguinte, quebrando a economia turca. Os europeus entraram de vez na partida, virando o placar. Os turcos não conseguiam segurar o rush da FaZe, pagando com a derrota em seu mapa de escolha por 16x9. FaZe Clan 16 vs. 6 Space Soldiers – Mirage Diferente do mapa anterior, a FaZe venceu o pistol e garantiu os antiecos na sequência. No entanto, o primeiro armado ficou para a Space Soldiers, que logo virou a partida, quando Ahmet "paz" Karahoca fez um ace com apenas 1 de hp. Os europeus tiveram calma, conseguindo quebrar a economia turca. Com isso, fecharam o primeiro half em 9x6. O pistol da segunda metade foi da FaZe, que também garantiu o antieco. Como tinha efetuado o after plant, a Space Soldiers fez o armado na sequência, mas a equipe europeia foi superior ao seu adversário, quebrando sua economia. Os turcos não conseguiram superar a pressão dos europeus, que fecharam o segundo mapa em 16x6. Fonte: Draft 5
  10. Uma equipe brasileira a menos na ESL One: Belo Horizonte. A Não Tem Como acabou sendo eliminada na tarde desta quinta-feira (14). No confronto contra a BIG, os brasileiros confirmaram seu mapa de escolha, mas não mantiveram o mesmo nível nos outros dois, perdendo por dois mapas a um. No mapa da Train, os brasileiros fizeram um sólido segundo half, fechando em 16 a 12. Já na Overpass, escolha da BIG a irregularidade custou a derrota por 16 a 9. Por fim, na Dust2, o péssimo lado terrorista definiu a derrota em 16 a 4. A única equipe brasileira que segue na competição agora é a SK Gaming. Eles voltam a jogar nesta sexta-feira (15) às 11h (horário de Brasília). O JOGO Não Tem Como 1 vs. 2 BIG Não Tem Como 16 vs. 9 BIG - Train Começando de terrorista, a NTC contou com Vito "kNgV-" Giuseppe para fazer o clutch 1vs3 e conquistar o pistol round. Com tranquilidade, os brasileiros garantiram os dois rounds com vantagem no armamento e abriram três a zero. No primeiro armado, a troca de eliminações foi favorável a BIG que chegou ao seu primeiro ponto. No round seguinte, a NTC optou por trabalhar por regiões diferente, perdendo nas trocações. Com isso, acabou perdendo mais um round e ficando sem economia. A BIG aproveitou a situação e virou o placar para quatro a três. Depois, as equipes começaram uma troca de rounds, que resultou num quebra da economia brasileira. Graças a isso, a BIG abriu três rounds de vantagem e garantiu a vitória no half. Chegando ao final do half, a Não Tem como se recuperou e levou um 8 a 7 adverso para o half seguinte. Já no pistol, Lincoln "fnx" Lau fez o triple kill e segurou o avanço dos alemães ao bombsite A. Porém, falharam no round seguinte ao defender o bomb B, sofrendo o reset econômico. Forçando o armamento, a NTC devolveu o ponto com desvantagem no armamento e chegou a mais um empate em nove a nove. Ao contrário dos rounds anteriores, os brasileiros confirmaram os pontos com a vantagem bélica e assumiram a frente do placar, em onze a nove. Mesmo pausando a partida, o time europeu não conseguiu superar o lado contra-terrorista da NTC, que emplacou oito rounds consecutivos e fechou o mapa em 16 a 9. Não Tem Como 12 vs. 16 BIG - Overpass Assim como no mapa anterior, a NTC conquistou o pistol round. De contra-terrorista, contaram com a lentidão adversária para sair na frente. Depois, os brasileiros confirmaram os dois rounds seguintes e abriram três a zero. Controlando a economia adversária, a Não Tem Como chegou ao quarto ponto. Porém, falharam ao segurar o pistolete da BIG, custando uma quebra econômica. A vantagem que era de quatro acabou e os alemães viraram a partida. Depois, foi a vez da equipe brasileira quebrar a economia adversária e passar a frente do marcador. Emplacando seis rounds consecutivos, fecharam o half vencendo por 10 a 5. Precisando virar a partida, a BIG garantiu a vitória no pistol round e com facilidade garantiu os ecos da NTC, deixando o placar em dez a oito. Com bons posicionamentos, os alemães chegaram ao empate sem deixar os brasileiros fazerem o plant. Chegando aos armados, as duas equipes começaram a trocar pontos, maioria vencida pela equipe que forçava o pistolete. Como no clutch de Marcelo "chelo" Cespedes, empatando a partida em doze a doze. Chegando a parte final do mapa, a BIG se encaixou defensivamente, venceu quatro rounds consecutivos e fechou em 16 a 12. Não Tem Como 4 vs. 16 BIG - Dust2 O mapa decisivo começou com os alemães na frente. Owen "smooya" Butterfield fez um triple kill na região do fundo e garantiu o pistol round. A NTC respondeu logo no round seguinte. Com uma entrada pelo meio depois de conquistar a first kill empataram o confronto. Mesmo com a vantagem bélica, os brasileiros perderam o round seguinte e cederam todo o armamento para a BIG. Diferente dos brasileiros, eles aproveitaram a vantagem e voltaram a frente do placar, abrindo quatro a um. O primeiro armado foi para a equipe brasileira, após uma kill de abertura de Marcelo "chelo" Cespedes. Porém, depois a NTC teve dificuldade para se acertar ofensivamente, com falta de sincronia e viu seu adversário abrir sete a dois no placar. Apesar de ter voltado a pontuar, a Não Tem Como não encontrou seu jogo ofensivo, sofrendo um grande revés no primeiro half. Ao final, o placar marcava 12 a 3 a favor dos alemães. Para complicar ainda mais a situação da NTC, perderam o segundo pistol, depois de estarem com uma vantagem de 3vs2. Em seguida, com armamento completo, os alemães confirmaram os rounds ecos dos brasileiros e chegaram ao match point. Na primeira oportunidade de fechar a partida, a BIG fez uma entrada com granadas no bomb B, porém não seguraram o retake adversário. Mas na segunda chance não desperdiçaram, fizeram uma entrada pela região da varanda e fecharam em 16 a 4. Fonte: Draft 5
  11. Também espero que depois que eles começarem a treinar no NA irão melhorar muito e consequentemente irão ganhar titulos!
  12. A outra equipe brasileira da competição também estreou com derrota. A Não Tem Como jogou mal e foi derrotada para a mousesports por dois mapas a zero. O time brasileiro teve muita dificuldade de superar o teamplay adversário, além de não se encontrarem na skill. Perderam seu mapa de escolha, Train por 16 a 3, sem se encontrar no lado terrorista. Já na Mirage, escolha da mouz, até fizeram um lado CT equilibrado, mas novamente sofreram de terrorista perdendo por 16 a 12. Com a derrota, a Não Tem Como fará o jogo de sobrevivência nesta quinta-feira (14) às 11h (horário de Brasília). O JOGO Não Tem Como 0 vs. 2 mousesports Não Tem Como 3 vs. 16 mousesports - Train Começando de terrorista no mapa da Train, a NTC saiu na frente vencendo o pistol round. Porém, com uma entrada sem sincronia, os brasileiros falharam e Robin "ropz" Kool garantiu um quad kill de Five-seven e empatou a partida. Ganhando a vantagem bélica, o selecionado europeu virou a partida para três a um. Depois disso, a mousesports mostrou um templay de contra-terrorista e emplacou oito rounds consecutivos, garantindo a vitória no half. Perdendo dessa maneira, a NTC parou a partida para corrigir os erros e preparar novas jogadas. Apesar disso, a pausa pouco adiantou pois a mouz continuou a dominar o jogo. Apenas no último round do half a NTC voltou a pontuar. Após uma boa entrada no bombsite A, Lincoln "fnx" Lau fez o clutch 1vs1 fechando o placar em 13 a 2 para os europeus. Buscando uma longa recuperação, os brasileiros venceram o segundo pistol do mapa, segurando uma entrada no bomb B. Porém, assim como no half anterior, perderam para o pistolete da mouz e caíram no econômico. Com armamento inferior, a NTC acabou cedendo o map point. Somente com CZ-75, não foram capazes de impedir a vitória adversária por 16 a 3. Não Tem Como 12 vs. 16 mousesports - Mirage Precisando vencer o segundo mapa para continuar com chances de vitória na partida, a Não Tem Como garantiu a vitória no pistol round jogando de contra-terrorista. Com muita segurança, abriram três a zero. O primeiro armado também foi para a equipe brasileira, com Vito "kNgV-" Giuseppe garantindo duas eliminações. A NTC chegou a perder o segundo armado, mas emplacou mais dois consecutivos, abrindo uma boa vantagem em seis a um. Em seguida, a mouz começou a trabalhar mais no bomb B, o que surtiu efeito e foram buscar o empate em sete a sete. No último round do half, a NTC fez um bom retake e conseguiu fechar vencendo por 8 a 7. No segundo half, os europeus garantiram a vitória no pistol, empatando novamente a partida. Com a vantagem bélica, virou a partida para nove a oito. Posteriormente, iniciou uma troca de rounds, vantajosa para a Mousesports que acabou quebrando a economia da NTC e abriu três rounds de vantagem em doze a nove. Voltando aos armados, os brasileiros começaram a sofrer com a first kill e a desvantagem numérica durante a invasão aos bombs. Desta maneira, a Mouz chegou ao match point com quinze a nove. A NTC conseguiu segurar por três rounds, mas depois do pause tático a Mousesports segurou o bomb B e fechou em 16 a 12. Fonte: Mais Esports
  13. A Team Liquid estreou com vitória na ESL One: Belo Horizonte. Diante dos alemães da BIG, a equipe teve dificuldades com o lado contra-terrorista, mas se acertou e venceu o confronto. BIG 0 vs. 2 Team Liquid BIG 14 vs. 16 Team Liquid – Cache Começando de CT, quem venceu o primeiro pistol foi a BIG. Na sequência, garantiu os antiecos e abriu vantagem. Porém, no primeiro armado a Liquid garantiu o primeiro ponto e, logo na sequência, marcou o segundo quebrando a economia alemã. Os americanos emplacaram uma sequência de rounds, se distanciando dos adversários. A BIG voltou a marcar, mas, no round seguinte, viu a Liquid marcar e garantir o primeiro half, que terminou em 10x5. O pistol round, como no início, foi vencido pela BIG que, ainda, venceu os antiecos, encostando no placar. A Liquid tinha dificuldade em segurar o rush alemão e viu os adversários passar a frente no placar. A equipe americana não se abateu e fechou o primeiro mapa em 16x14. BIG 11 vs. 16 Team Liquid – Inferno Embora a Liquid tenha conseguido o after plant, a BIG foi quem venceu o pistol. Consequentemente, venceu o antieco. O primeiro armado foi no terceiro round e foi vencido pela equipe alemã, que quebrou a economia americana. Os americanos marcaram o primeiro ponto no quinto round, mas novamente viu seu adversário marcar. Os alemães aproveitavam os erros dos oponentes e garantiu o primeiro half ao marcar 8x1 no placar. A Liquid marcou vários pontos em sequência antes que a primeira metade terminasse em 10x5. O pistol da segunda metade foi vencido pela equipe americana, após Russel "Twistzz" Van Dulken fazer quatro eliminações. Os antiecos também foram vencidos pela Liquid, que encostou no placar. Os americanos venceram o armado, fazendo com que a economia alemã fosse quebrada, empatando a partida. A equipe germânica não foi párea para a defesa da Liquid que fechou o mapa em 16x11. Fonte: Mais Esports
  14. A SK Gaming estreou com derrota na ESL One: Belo Horizonte. Jogando contra os turcos da Space Soldiers os brasileiros sofreram com o lado contra-terrorista e acabaram sendo derrotados por dois mapas a zero. Coldzera chegou a fazer alguns highlights, mas não foi o suficiente para impedir a derrota. No mapa da Cache, a SK abriu uma boa vantagem no primeiro half, mas sofreram uma virada de sete rounds, perdendo por 16 a 13. Já na Inferno, lideraram o placar em apenas no começo do segundo half, mas logo sofreram a virada e foram derrotados por 16 a 11. Com o resultado, os brasileiros voltam a jogar ainda nesta quarta-feira (13), contra a Ghost Gaming, valendo a sobrevivência na competição. O JOGO SK Gaming 0 vs. 2 Space Soldiers SK Gaming 13 vs. 16 Space Soldiers - Cache Começando de terrorista, a SK Gaming acabou perdendo o pistol round. Depois de sofrer uma rápida eliminação em poucos segundos de round, o time brasileiro conseguiu invadir o bombsite B e fazer o plant. Porém, não conseguiu impedir o retake turco, perdendo o primeiro ponto. Com o plant, a SK forçou o armamento para o round 2 e conquistou o ponto, quebrando a economia da Space Soldiers. Com superioridade bélica, os brasileiros venceram os dois rounds seguintes fazendo três a um no placar. O primeiro round armado foi para equipe da Space Soldiers após conseguiram segurar o avanço brasileiro na região do meio. A resposta brasileira veio logo no round seguinte. Conseguiram invadir o bomb A com duas eliminações rápida e ficaram com o ponto. Controlando a economia turca, rapidamente o placar aumentou para oito a dois, garantindo a vitória no half. Perdendo por sete pontos de diferença, a Space Soldiers pausou a partida para criar novas estratégias defensivas. Após a parada, os turcos melhoraram e começaram a buscar a first kill, além de sempre buscar a troca nas eliminações. com isso, eles conquistaram dois dos três últimos rounds do half, levando um placar reverso de 11 a 4. O segundo pistol da partida também foi para SS, após uma invasão ao bomb A. Diferente do primeiro half, os turcos tiveram facilidade para garantir os dois rounds seguintes e trazer o placar para onze a sete. Sem perder um player e aproveitando os avanços brasileiros, a Space Soldiers venceu o primeiro armado e quebrou a economia adversária. Desta maneira a vantagem da SK caiu para dois pontos. Perdendo por oito a zero no lado contra-terrorista, e sofrendo a virada, a SK decidiu pausar a partida para mudar conversar e pensar em novas posturas defensivas. A parada gerou resultado e a equipe brasileira conseguiu seu primeiro ponto no half com um triple kill de Fernando "fer" Alvarenga. Porém, atrás do placar e trocando rounds com os turcos, a SK viu seu adversário chegar ao map point. E com um rush rápido ao bombsite B, aproveitando o armamento superior, a Space Soldiers fechou o mapa em 16 a 13. SK Gaming 11 vs. 16 Space Soldiers - Inferno Controlando os pistols, a Space Soldiers, garantiu o primeiro ponto da Inferno jogando de contra-terrorista. Com facilidade, venceram os rounds com vantagem bélica e abriram três a zero. Indo para os rounds armados, a SK aproveitou os avanços descontrolados dos turcos para conqusitar as eliminações e levar seu primeiro ponto. Mas no round seguinte perderam o ponto e sofreram reset econômico. Mesmo no pistolete, o time brasileiro voltou a pontuar. Graças a Marcelo "coldzera" David que fez o clutch 1vs2. Apesar de fazer dois pontos consecutivos, a SK sofreu para conseguir fazer as jogadas de terrorista, sempre ficando com a economia fragilizada. Assim, os turcos garantiram a vitória no half fazendo oito a três. Com coldzera decidindo mais um round, os brasileiros voltaram a partida e a vantagem que era de cinco pontos caiu para três, fechando em 9 a 6. O segundo pistol do mapa foi para a SK, após um bom redomínio do bomb A. Mesmo sofrendo várias eliminações para o pistolete turco, a SK garantiu o segundo ponto. Indo para os armados, a SK seguiu segura e virou a partida para dez a nove. Em seguida, as duas equipes começaram uma troca de rounds, com desvantagem para os brasileiros que sofreram o reset econômico e viram seu adversário ficar a três pontos da vitória. Perdendo por 14 a 11, a SK pausou a partida para pensar em novos posicionamentos defensivos, para tentar reverter a situação. Porém, o pause não surtiu efeito e a Space Soldiers fechou em 16 a 11. Fonte: Mais Esports
  15. Nesta quarta-feira(13), começou em Belo Horizonte a ESL One. A FaZe Clan venceu a Ghost e enfrenta a Space Soldiers. Já os americanos, joga ainda hoje contra a SK Gaming. FaZe Clan 2 vs 0 Ghost Gaming FaZe Clan 16 vs 4 Ghost Gaming – Overpass Começando de CT, quem venceu o primeiro pistol foi a FaZe, que também garantiu os antiecos, abrindo 3x0 no placar. O primeiro armado ocorreu no quarto round e a equipe europeia venceu após fazer o retake e segurar o rush adversário. A equipe americana não acertava nas suas decisões, enquanto a FaZe fazia excelentes retakes, abrindo 8x0 no placar e garantindo o primeiro half. O primeiro ponto da Ghost veio na sequência, mas a equipe europeia logo quebrou a economia americana. O primeiro half terminou em 12x3. O segundo round pistol foi vencido pela Ghost. No entanto, a FaZe fez o pistolete no round seguinte, garantindo mais um ponto a seu favor. Com a economia americana quebrada, os europeus fecharam o primeiro mapa em 16x4. FaZe Clan 16 vs 8 Ghost Gaming – Dust 2 O pistol foi vencido pela Ghost, que também venceu os antiecos e abriu vantagem. No quarto round veio o primeiro armado, vencido pelos americanos e que quebraram a economia da FaZe. Os europeus marcariam pela primeira vez no sexto round e logo, na sequência, diminuiriam o placar para 5x2. A FaZe envolveu seu adversário fazendo com que os americanos errassem muitas vezes seguidas, vencendo o primeiro half por 8x7. A FaZe venceu o segundo pistol e consequentemente os antiecos, abrindo vantagem no placar. Os americanos não tinham uma economia estável e os europeus aproveitaram isso, fechando o segundo mapa em 16x8. Fonte: Draft 5