Bem vindo ao GGames

Registre-se agora para obter acesso a todos os nossos recursos. Uma vez cadastrado e logado, você será capaz de criar tópicos, postar respostas a tópicos já existentes, dar reputação a seus companheiros, obter seu próprio mensageiro privado, postar atualizações de status, gerenciar seu perfil e muito mais. Esta mensagem será removida depois de você ter feito login.


Pesquisar na Comunidade

Fórum sobre 'Competitivo' Brasil.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • GGames Forums
    • Anúncios
    • Críticas, dúvidas & sugestões
  • Diversos
    • Vale Tudo
    • Notícias & Novidades
    • Análises & Reviews
    • Marketplace - Compra e Venda
  • Plataformas
    • PC Master Racer
    • Xbox
    • Playstation
    • iOS / Android / Portáteis
    • Retrô / Emuladores
  • E-Sports
    • LOL - League of Legends
    • Counterstrike Global Offensive
    • Overwatch
    • Tom Clancy's Rainbow Six Siege
    • DotA 2
    • Fortnite
  • Must Have
    • PUGB - Playerunknown's Battlegrounds
    • Battlefield
    • GTA V - Grand Theft Auto 5
    • FIFA Soccer
    • Minecraft
    • No Man's Sky
  • Web & Design
    • Dicas e Tutoriais
    • Recursos para Download
    • Galeria
    • Desenvolvimento - Helpdesk
    • Pedidos
  • Battlefield 1's Regras
  • Trainers/Hackers's Tópicos

Blogs

Não há resultados

Não há resultados

Categorias

  • Jogos
    • Traduções de Jogos - Português Brasil
    • Emuladores
    • Utilitários
    • Cheats / Trainers / Mods
    • Save Games
  • Softwares & APP - Windows
    • Sistemas Operacionais
    • Produtividade e Office
    • Drivers e Essenciais
    • Segurança e Desempenho
    • Internet e Navegadores
    • Multimídia
    • Utilitários
  • Criação e Desenvolvimento
    • Fontes
    • Vetores (Illustrator / Corel / PDF)
    • Images (PSD / PNG / Alta Resolução)
    • HTML5 / CSS3
    • PHP / MySQL
    • Wordpress | CMS

Categorias

  • PC - Dicas e Tutoriais
    • Internet | Emails
    • Sistemas Operacionais
    • Hardware | Redes | Periféricos
    • Redes Sociais | Messengers
    • Hacker | Invasão
    • Softwares | Downloads | Uploads
  • Plataformas
    • Xbox
    • Playstation
    • Mobile (iOS / Android)
    • Emuladores / Retrô
  • Web Design
    • HTML | CSS | Javascript
    • Wordpress | Joomla | CMS
    • Magento | Woocommerce | Shopify
    • PHP | MySQL
    • IPB | PHPBB | VBulletin | Xenforo | MyBB
    • Hospedagem | Domínio | Servidor
  • Design Gráfico
    • Photoshop
    • Fireworks
    • Illustrator
    • CorelDRAW
    • Impressão 3D | Modelagem 3D
  • Tutoriais VIP
    • Tutorial VIP

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Steam


Discord


Skype


PlayStation ID

Encontrado 22 registros

  1. O futuro de um dos melhores caçadores do Brasil finalmente foi revelado. Após deixar a Vivo Keyd, Gabriel “Revolta” Henud será o novo caçador da RED Canids. O jogador estava defendendo os guerreiros desde o final de 2016, mas não era sua primeira passagem pelo clube. Revolta já havia jogado pela Keyd em outras três ocasiões diferentes. O jogador também teve passagens pela CNB, e pela INTZ, clube onde acumulou três títulos do CBLoL. Na busca pelo título, a Vivo Keyd acabou reunindo novamente a escalação apelidada de “Exodia”. A equipe não conseguiu corresponder as expectativas e em 2018 teve que se contentar com o vice-campeonato no primeiro split, e no segundo, a quarta colocação. O jogador ficou disponível para propostas no dia 23 de novembro. A Vivo Keyd está jogando a SuperLiga 2018 mas o jogador não participou de nenhuma partida da competição, e foi substituído pelo até então suporte da equipe Luan “Jockster” Cardoso. Junto a RED Canids, Revolta jogará o Circuito Desafiante na primeira metade de 2019, buscando ajudar a matilha a voltar para a elite do LoL brasileiro. O jogador dividirá a posição com Leonardo “Erasus” Faria. Confira a escalação completa da equipe até o momento: Top Pedro “LEP” Marcari Jungler Leonardo “Erasus” Faria Jungler Gabriel “Revolta” Henud Mid Adriano “Avenger” Perassoli ADC Gustavo “Sacy” Rossi Support Caio “Loop” Almeida Support Victor “Cabu” Oliveira Fonte: maisesports
  2. Na noite desta quinta-feira (06) tivemos o anuncio de uma contratação bem “inesperada” por todos. O chileno Sebastián “Tierwulf” Andrés é a nova contratação da Splyce para a próxima temporada da LEC. O chileno será o caçador reseva da equipe europeia. Tierwulf ficou conhecido pelos fãs brasileiros após jogar na Big Gods em 2016. O jogador já tinha jogador pela Renegades of Hell, Last Kings e Kaos Latin Gamers, equipe que o jogador retornou no final de 2016 e permaneceu até então. Em sua estádia pelo Brasil o jogador acabou terminando na última colocação após sua equipe receber uma punição logo no começo do campeonato, perdendo 16 pontos. Já na KLG, o chileno conquistou os três últimos títulos da CLS. O jogador irá dividir a posição com o já veterano Andrei “Xerxe” Dragomir. A Splyce terminou o primeiro split da LCS EU 2018 na terceira colocação, e na segunda metade do ano, terminou na 5°/6° posição. A equipe tentou lutar pela última vaga europeia no Mundial, mas acabou perdendo na segunda rodada para a G2. Tierwulf é a quarta contratação da equipe para a próxima temporada. Confira a escalação completa até o momento: Andrei “Odoamne” Pascu – Top Tamás “Vizicsacsi” Kiss – Top Andrei “Xerxe” Dragomir – Jungler Sebastián “Tierwulf” Andrés – Jungler Marek “Humanoid” Brázda – Mid Kasper “Kobbe” Kobberup – ADC Tore “Norskeren” Hoel Eilertsen – Support Fonte: maisesports
  3. Luci, novo suporte do Flamengo (Foto: Reprodução/Divulgação) O suporte recém-contratado do Flamengo eSports Han “Luci” Chang-hoon estreiou pela equipe nesta quinta-feira (6). Em embate sediado na CCXP 2018, o rubro-negro derrotou a IDM Gaming, com o coreano na rota inferior ao lado de Gabriel “Juzinho” Nishimura, que substituía o titular Felipe “brTT” Gonçalves. Após os jogos, o suporte, que chegou ao Brasil há menos de uma semana, comentou em entrevista ao Mais e-Sports sua primeira impressão sobre o país e a adaptação no time. Ele afirmou que seu primeiro impacto foi a temperatura alta: “Eu amo o inverno, mas aqui no Brasil parece que não tem (risos)… Mas isso não é um problema, é um ótimo país para viver”. Defender uma equipe como a do Flamengo e com a enorme torcida rubro-negra é uma grande responsabilidade. O sul-coreano, porém, não sente tanto o peso. “É uma ótima chance estar jogando aqui no Flamengo, então eu vou dar o meu melhor. Eu quero ser o melhor suporte aqui do Brasil”. Mesmo com o fuso de 11 horas de diferença entre Brasil e a Coreia do Sul, Luci demonstrou estar interessado no país “Já tinha ouvido falar do time do Flamengo e do brTT. Eu assistia o CBLoL para assistir os jogos do Flamengo, mas não via de nenhum outro time”. Na sua primeira passagem em uma equipe ocidental, o suporte demonstra confiança e estar com suas metas bem definidas. “O primeiro objetivo é classificar para o MSI, e eu adoraria vencer o segundo split também.” Luci também espera suporte dos torcedores. “Continuem me apoiando, porque a partir de agora eu vou praticar muito para ser um ótimo jogador… eu amo vocês”, finalizou o jogador. Fonte: maisesports
  4. Na última quinta-feira (6), o Flamengo eSports estreou parte da nova lineup em uma md3 contra a IDM Gaming na CCXP 2018, onde a equipe rubro-negra saiu vitoriosa por 2-1. Após o confronto, o novo topo Leonardo “Robo” Alves conversou com o Mais e-Sports. Confira: Como está sendo entrar em um novo time após defender a CNB e-Sports por dois splits do CBLOL? Robo: Está sendo bom para mim. Eles são ótimos jogadores, então eu estou gostando bastante, creio que vou me adaptar muito bem, estou muito satisfeito. Você entrou no lugar de um top laner coreano, o Jisu. O que você acha que precisa fazer para suprir essa saída dele e como o estilo de jogo de vocês diferem? Robo: O Jisu é bem consistente, é muito difícil matar ele mas tem o ponto fraco de que não pode depender muito dele. Se o time vencer, venceu, se perder, perdeu, já comigo é um pouco diferente. Eu arrisco mais, eu sou mais agressivo, então, se o time preferir focar na bot lane, eu consigo ficar bem assim no jogo, mas eu prefiro que joguem comigo porque eu gosto bastante de criar as jogadas para o time durante a partida. Como está sendo a comunicação no Flamengo tendo dois coreanos na equipe? Robo: Está sendo bem diferente para mim, na primeira partida eu não entendi quase nada mas agora estou me adaptando e com o tempo eu me acostumo. A gente se comunica em inglês, mas o que os coreanos querem falar entre eles, falam em coreano e a gente às vezes em português. Mas na maior parte do tempo é inglês mesmo. Qual sua expectativa para 2019 defendendo o Flamengo e podendo ver a performance das outras equipes? Robo: Minha expectativa é bem alta, espero poder ganhar os dois splits, participar do MSI e do Mundial e ir bem nos dois. Acho que não tem como não ser isso, nosso time é muito forte e estamos bem encaixados, por mais que o brTT ainda não esteja aqui treinando com a gente. Desde 2017 sua carreira está repleta de grandes times. Como é para você estar representando uma organização como o Flamengo, vista a história da equipe no futebol e a história que vem sendo criada no Esports? Robo: Para mim é uma honra estar representando o Flamengo, é um manto muito pesado e só pelo fato de ser Flamengo já representa uma torcida imensa. Eu normalmente não sofro com pressão e aqui também está sendo assim, mas o público tá me dando um suporte muito legal e eu amo essa nação e espero que continuem torcendo pela gente. Fonte: maisesports
  5. O jogador Luan “Jockster” Cardoso teve mudanças em sua carreira na pré-temporada. Jogando como caçador, o suporte por ofício substituiu Gabriel “Revolta” Henud até agora na Superliga ABCDE 2018, conseguindo bons resultados durante o torneio e tropeçando apenas para o Santos eSports, contra quem perderam por 2 a 1 na última rodada. Não é a primeira vez que Jockster joga na selva. Entre 2013 e 2015, o jogador alternou entre as posições de jungler, top laner e suporte — se estabilizando na rota inferior em 2016, na INTZ. O profissional comentou em entrevista ao Mais e-Sports seu papel atual na Vivo Keyd, a campanha no torneio de pré-temporada e o futuro da equipe. É a primeira vez em dois anos que a Keyd fica sem o Revolta e você está no lugar desse jogador, que sempre foi muito importante na equipe. Como está sendo assumir esse papel? Jockster: Eu estou bem feliz de ter essa oportunidade de jogar na jungle. Apesar de ser por imprevistos que aconteceram, eu acredito que estou cobrindo o papel do Revolta da melhor maneira possível, pelo menos ao meu ver. É óbvio que eu não vou chegar no nível dele tão rápido, eu tô jogando há quase um mês só e ele joga a vida inteira, então acho que era muito difícil eu realmente preencher a lacuna que ele deixou aqui no time. Mas eu acho que tenho preenchido uns 60% pelo menos, e eu acredito que foi algo muito bom para mim, porque entendendo a jungle, eu acredito que mesmo se eu voltar pra suporte eu vou ter essa experiência e isso é muito bom pra mim de qualquer maneira. Você vai ficar na role de caçador? Jockster: Não sabemos ainda, estamos em uma fase de testes. Eu acredito que a gente tenha que ter pelo menos uma semana pra entender como está funcionando o time, tem muita coisa pra acontecer ainda, a gente não se decidiu muito sobre como queremos jogar, e isso também influencia em quem vai ficar de suporte e quem vai para a jungle. Então precisamos de um tempinho a mais para entender o que queremos fazer e decidir se eu vou ficar na jungle ou não. Como a sua experiência como suporte em todos esses anos está te ajudando a desempenhar na jungle? Jockster: Acho que principalmente pra jogar com o Professor a minha experiência como suporte tá ajudando muito, eu consigo entender qunaod ele pode sair da lane e andar comigo, o que é muito importante nesse meta, eu consigo entender quando a gente pode entrar pra wardar, quando é perigoso a gente fazer alguma coisa, então eu acho que a noção de visão é algo que está me ajudando muito a jogar na jungle, e também está me ajudando a dar as calls do que fazer junto do Professor. E você, pessoalmente, gosta mais de jogar na jungle ou como suporte? Jockster: Pessoalmente, eu gosto mais da jungle, mas eu acredito que como um teammate o esperado é que eu faça o melhor para o time, então se o time achar que foi melhor eu jogar de suporte eu vou jogar tranquilamente e vou ser feliz como suporte. O que realmente importa para mim é que o time vá bem — se eu tiver que jogar de suporte eu não vou ficar triste, mas eu prefiro realmente a jungle. Você é historicamente um dos melhores suportes do Brasil, e está sendo substituído por um jogador que também é muito bom, o Professor. Como está rolando a troca de informações e experiência entre vocês? Jockster: Principalmente por ele ter vindo da ProGaming, ele trouxe uma visão muito diferente do jogo. A PRG tinha um estilo muito único, que eles sempre usaram e já funcionou muito, já deixou de funcionar, então eu acho que ele trazendo essa experiência pra mim eu consigo enxergar umas coisas que eu não enxergava antes. Eu acredito que também tô ajudando ele a entender principalmente como jogar junto com o seu ADC, não sei porque, mas sinto que ele não entendia isso muito bem na PRG. Agora que ele veio pra cá, eu estou ajudando ele bastante nisso, e ele também está me ajudando muito. Eu acho que ele trouxe muita coisa da PRG e é algo que agrega para todo mundo, não só para um suporte ou um jungler. Pra você, quais são as diferenças entre o seu estilo de jogo na jungle e o do Revolta? Jockster: Eu acho que o Revolta faz um jogo muito mais controlado do que eu. Eu procuro sempre ajudar as lanes quando elas precisam, e ele procura ajudar as lanes de outras maneiras, ele sabe que se ele encontrar o jungler inimigo, por exemplo, isso já vai dar uma chance das nossas lanes jogarem mais agressivo. Então eu acho que o estilo de jogo dele é mais controlado e o meu é um pouco mais doido, assim… Eu sempre estou procurando fazer alguma coisa que traga vantagem para as minhas lanes, e não só controlando o jogo com visão e pegando informação do outro jungler. O que você acredita que a Keyd ainda precisa setar para vir com tudo no CBLOL? Jockster: Eu acredito que a gente precise decidir ainda o que vai fazer com esse time, porque não sabemos ainda se eu vou continuar jungle mesmo, se vamos ter dois suportes… ter duas bot lanes é um negócio muito bom, então estamos pensando nisso também ainda. Assim que decidirmos isso, eu acredito que vamos conseguir treinar o que precisamos de verdade para funcionar como um time — que são coisas no mid game, no late game, como a gente vai comunicar, essas coisas que ainda não deu tempo de setar ainda, porque estamos preocupados com outras coisas que estão acontecendo fora do jogo. Fonte: maisesports
  6. Ayel, top laner da paiN, na Superliga ABCDE (Foto: Divulgação/Superliga) A paiN Gaming fechou sua campanha na fase de grupos da Superliga 2018 com uma vitória definitiva contra a INTZ e-Sports, vice-líder do Grupo B do torneio. Invictos no torneio, o clube se aproxima de fechar sua lineup para o Circuito Desafiante 2019, em que buscarão a vaga ao CBLOL. Após a série md3, o top laner Marcelo “Ayel” Mello comentou ao Mais e-Sports a campanha no campeonato de pré-temporada, a classificação para as semifinais e as expectativas para a etapa eliminatória. Confira: Tanto a paiN quanto a INTZ já tinham suas vagas garantidas nas semifinais antes da série de hoje. O que a vitória significa, nesse contexto? Ayel: Vencer da INTZ tem um gostinho a mais porque eu já fui do time, também. Além disso, perdemos para eles a vaga para o CBLOL, porque eles jogaram o relegation. Vencer deles prova também que somos um time mais forte, que nos consolidamos como um time realmente, porque durante a temporada não conseguimos encaixar muito bem e, agora, estamos conseguindo nos encaixar. A vitória em cima da INTZ prova que estamos nos distanciando da paiN que perdeu o Circuito Desafiante como perdemos. O que a Superliga em si tem significado para a paiN? Ayel: Não podemos menosprezar nenhum tipo de campeonato, não importa o que ele valha, onde seja, como seja sua estrutura ou qualquer coisa. Vamos sempre jogar nosso máximo, porque a paiN tem espírito competitivo, então sempre vamos dar nosso melhor. A Superliga é um campeonato excepcional para conseguirmos provar nossa consolidação como time e família. Estamos aproveitando muito bem o fim do ano e o campeonato para encaixar algumas peças. Sendo sincero, quando o esA entrou, não conseguimos nos entender muito bem, estávamos tendo dificuldade de encaixar, porque ele trouxe conhecimento do Flamengo, então foram muitas ideias ao mesmo tempo, além da mudança do patch. Então a Superliga está servindo para que o time prove a si mesmo que somos bons e que podemos ser um time, e amenizar as mágoas do passado, de termos caído ao Desafiante e não conseguir subir. É nossa hora de reascender. A série da paiN contra INTZ pode ser considerada uma final antecipada? Ayel: Eu não sei dizer se pode ser considerada uma final antecipada, porque também têm times fortes no outro grupo, como a Keyd, principalmente. O Santos e a ProGaming estão em um nível bem equiparado, então não tem como saber se foi uma final antecipada realmente com a INTZ, porque todos os times estão em um nível muito alto também. Acho complicado usar esse termo, já. Você acredita que o grupo A esteja mais fraco que o B? Ayel: Com certeza. No Grupo A tem um time que não tem nenhum tipo de experiência no tier 1 ou no tier 2, a Bulldozer, e tem times que não foram muito bem no CBLOL e no Tier 3, como o Santos, que não conseguiu subir pro tier 2, e a ProGaming, que não foi muito bem no CBLOL. A Falkol também tinha muita expectativa, mas não atenderam a ela, eles jogaram abaixo do nível. O Grupo A é sim muito mais fraco que o nosso, que tem times como a INTZ, que mesmo não indo bem no CBLOL são um time muito forte e consolidado. Na hora do “vamos ver” vão e fazem… até agora só fizeram no Relegation, mas eles são capazes sim de subir em um top 1 ou top 3 de times. O nosso grupo também tem a Team One, que muita gente botou muita expectativa, mas infelizmente o time parece não ter encaixado muito bem com a reformulação deles. Também temos a OPK, que está sempre no Circuitão e no nível do torneio, sem subir ou cair, mas não são um time fácil de ser vencido, eles tem muitas características chatas de vencer. Com base nisso, quem você prefere enfrentar nas semifinais da Superliga? E quem você acredita que consiga passar Ayel: Sinceramente, eu preferiria enfrentar o Santos ou a ProGaming. Acredito que sejam os times mais tranquilos de enfrentar nas semifinais. E eu queria uma final eletrizante contra um time que fosse considerado muito bom, como a Keyd ou a INTZ. Não tem como dizer muito bem quem passará do Grupo A, está entre o Santos e a ProGaming. Eu acredito que a ProGaming suba, porque o time deles é muito mais encaixado. Já o Santos tem jogos muito bons, mas tem jogos muito ruins também, então pra mim a ProGaming passa. A paiN vem de uma campanha muito boa, estando invicta. Você acredita que a equipe seja a favorita ao título? Ayel: Acredito sim, porque nenhum time da Superliga passou pela fase de grupos invicto. Obviamente somos o time favorito, mas não acho que isso faça diferença na semifinal e na final, porque a fase de grupos já acabou e o nosso foco a partir de agora são os playoffs. Você tem algum recado para a torcida? Ayel: Queria mandar um abraço e um obrigado a todos por terem torcido por nós e por terem acompanhado a gente até agora. Tamo junto! Fonte: maisesports
  7. Há poucos dias tivemos o Prêmio CBLoL, que busca reconhecer os melhores jogadores nas mais diversas categorias. Na China também ocorre uma premiação parecida, intitulada de “LPL Awards“, que conta com mais de dez categorias diferentes. Confira quem foram todos os vencedores: Revelação do ano: Yu “JackeyLove” Wen-Bo (ADC- Invictus Gaming) Importação do ano: Song “Rookie” Eui-jin (Mid – Invictus Gaming) Narrador do ano: Wanna Time com maior crescente: JD gaming Jogador mais popular do ano:Kang “TheShy” Seung-lok (Top – Invictus Gaming) Treinador do ano: Lee “Heart” Gwan-hyung (Royal Never Give Up) Dream Team: Kang “TheShy” Seung-lok (Top – Invictus Gaming) Gao “Ning” Zhen-Ning (Jungler – Invictus Gaming) Song “Rookie” Eui-jin (Mid – Invictus Gaming) Jian “Uzi” Zi-Hao (ADC – Royal Never Give Up) Shi “Ming” Sen-Ming (Support – Royal Never Give Up) Jogadores que ganharam como melhores em suas posições. Foto: Transmissão LPL Melhor jogador do ano: Song “Rookie” Eui-jin (Mid – Invictus Gaming) Melhor equipe do ano: Invictus Gaming Melhor gerenciamento de equipe: Edward Gaming Melhor Marketing de time: BLG O grande destaque da premiação foi a Invictus Gaming que conseguiu colocar seus jogadores em cinco categorias diferentes, além de vencer como melhor equipe do ano. O mid laner Rookie também brilhou na cerimônia, levando três prêmios para casa. A Invictus Gaming teve boas campanhas na LPL em 2018, mas acabou caindo duas vezes para a RNG. No mundial, a equipe foi a responsável por ganhar o primeiro título da China na história do torneio. Fonte: maisesports
  8. A equipe de LoL da Vivo Keyd sofreu sua primeira derrota nessa edição da Superliga ABCDE neste domingo (2). Em uma série parelha contra o Santos eSports, o time teve a série fechada em um 2 a 1, comprometendo sua classificação direta para as semifinais e empatando na tabela com os adversários e com a ProGaming. O campeonato marca a primeira vez em dois anos que a Keyd não conta com o caçador Gabriel “Revolta” Henud, peça-chave da equipe desde sua entrada. Após os jogos contra o Santos, o mid laner Gabriel “tockers” Claumann comentou a ausência do companheiro de equipe, a série contra o Santos e a lineup atual do time. É a primeira vez em dois anos que a Keyd joga sem o Revolta. Como é a Keyd efetivamente sem ele? Tockers: A Keyd sem o Revolta perde um jogador que é muito bom, tem muito talento, mas o time não estava encaixando e foi algo natural. Agora, estamos tentando nos adaptar sem ele. Não temos nada fechado ainda, de como será o time para o ano que vem, ainda estamos tentando acertar as peças, ver o que dá pra fazer para oficializar o que será a Keyd em 2019. O Jockster, por enquanto, fica na jungle? Tockers: É difícil saber, ainda estamos testando, talvez ele volte para suporte, então tudo pode acontecer. Realmente o que vai dizer serão nossos resultados em treinos, isso dirá o que será o melhor rolster para 2019. Ainda está tudo aberto. Como está sendo para você, especificamente, como mid, jogar com o Jockster na selva? Como é a dinâmica mid/jg entre vocês dois e como ela difere da com o Revolta? Tockers: Jogando com o Jockster, eu tenho bem mais liberdade para fazer o que eu quero. Normalmente, eu posso jogar no meu tempo, fazer as coisas como eu quero, e isso me dá um pouco mais de liberdade para poder carregar o jogo, enquanto jogando com o Revolta era meio que o contrário. É só uma questão de estilo, mesmo, e eu acho que alguns jogadores são melhores em umas funções, outros em outras, e creio que ter essa flexibilidade é muito bom para mim. Hoje, vocês tiveram uma série muito parelha contra o Santos, que está atualmente no tier 3. Como um jogador que está no cenário há muito tempo, como você avalia o vão entre a primeira, segunda e terceira divisão no LoL? Por que parece tão igualado? Tockers: Pra falar a verdade, não acho que está tão igualado — é mais sobre a Superliga ter uma pegada diferente, porque é mais teste. Nenhum time que está jogando a Superliga hoje está pronto, tudo pode acontecer, então, normalmente, o que se vê na Superliga não é necessariamente o nível das equipes… algumas equipes, às vezes, estão apostando muito alto e vem o que não está certo na Superliga, outros times veem que eles precisam fazer mudanças, porque o nível realmente não atingiu ainda e eles tem condição de fazer essa mudança. Acho que a Superliga não dá necessariamente uma exatidão da distância de nível do tier 3 para o tier 1, mas com certeza o tier 3 evoluiu muito nos últimos anos. O que você acredita que aconteceu hoje para que vocês perdessem para o Santos? Tockers: Nós tivemos uma semana de treino bem ruim, uma das piores que a gente já teve, e isso acabou afetando nosso jogo. Isso pesou aqui no stage, principalmente em comunicação, e a gente não estava muito apurado mecanicamente, então só acabamos perdendo, mesmo. Aconteceu, mas sabemos que, ganhando ou perdendo hoje, nós temos muito para melhorar. O que a Keyd ainda precisa arrumar para vir com tudo no CBLOL? Tockers: A gente precisa se achar, mesmo. Descobrir qual vai ser nossa formação, se vamos oficializar essa, se vamos mudar, tudo pode acontecer ainda e o mais importante é a gente achar uma que a gente se sinta confortável e vir com vontade para o CBLOL. Você tem algum recado para os fãs da Keyd? Tockers: O que eu quero falar para os fãs é que a gente quer muito ganhar. Talvez essa derrota tenha surpreendido um pouco, mas isso é em prol da evolução da Keyd daqui pra frente, então isso não vai se refletir no CBLOL e veio só para que a gente pudesse melhorar. Fonte: maisesports
  9. Confirmando as especulações recentes, o suporte sul-coreano bicampeão mundial Lee “Wolf” Jae-wan será o novo jogador da equipe turca SuperMassive. Em paralelo ao anuncio, a organização também anunciou a contratação do mid laner também sul-coreano Kim “Frozen” Tae-il. Wolf estava jogando pela SKT desde 2013, quando ainda fazia parte da line-up “S” da equipe, O jogador foi promovido para o time principal e lá venceu três vezes a LCK, duas vezes o campeonato mundial e duas vezes o MSI. Em 2018 o jogador também tentou jogar como jungler da equipe, mas depois de algumas partidas acabou voltando para a posição de suporte. A equipe tricampeã mundial não conseguiu um bom desempenho esse ano e acabou ficando de fora do Mundial 2018. Frozen jogou na Coreia até o final de 2016, onde atuava pela Longzhu Gaming. No final daquele ano o jogador se juntou a 1907 Fenerbahçe, também da Turquia. Junto a equipe, o sul-coreano foi campeão do segundo split da TCL 2017. A equipe representou a região no Mundial daquele ano e conseguiu sair da Fase de Entrada do torneio. Na Fase de Grupos, os turcos acabaram ficando com um placar de seis derrotas e nenhuma vitória. Em 2018 a equipe não conseguiu manter o título da liga em suas mãos, e acabou terminando no 5°/6° lugar na primeira metade do ano, e na segunda, no 3°/4° lugar. Além da contratação dos dois sul-coreanos, a equipe também anunciou a renovação do contrato de fabFAbulous, Stomaged e Zeitnot. Com isso, a escalação completa fica da seguinte forma: Asım “fabFAbulous” Cihat Karakaya – Top Furkan “Stomaged” Güngör – Jungler Kim “Frozen” Tae-il – Mid Berkay “Zeitnot” Aşıkuzun – ADC Lee “Wolf” Jae-wan – Support Fonte: maisesports
  10. A OpTic gaming surpreendeu a todos e anunciou o campeão mundial Lee “Crown” Min-hocomo novo mid laner da equipe para os próximos dois anos. Crown já jogou no Brasil durante a segunda metade de 2014, onde defendeu a KaBuM Black. Após voltar para a Coreia, o jogador foi contratado pela Samsung Galaxy. A equipe não conseguia bons desempenhos na LCK, mas quando o assunto era palcos internacionais, eles impressionavam. Em 2016 e 2017 conseguiram a terceira vaga coreana para a competição, e mesmo desacreditados, conseguiram chegar na final em ambos os anos, perdendo para a SK Telecom T1 em 2016 e conseguindo sua vingança contra a mesma em 2017. Em 2018 a Samsung foi vendida e se transformou na KSV Esports. Todos os jogadores e comissão técnica foram mantidos, mas novamente não conseguiram um bom desempenho na LCK. A equipe passou por uma reformulação da marca e passou a se chamar Gen.G. A tradição continuou: Desempenho abaixo da média na LCK mas aidna sim conseguiram a vaga no Mundial 2018. Diferente dos outros anos, a equipe acabou sendo eliminada precocemente, ainda na fase de grupos da competição, protagonizando a pior campanha de um time sul-coreano na história dos mundiais. Após o vexame, Crown deixou a equipe, juntamente com Ambition, Mong, CoreJJ e Haru. Além de Crown, Haru e CoreJJ já foram anunciados em novas equipes. O mid laner sul-coreano chega para ocupar a vaga deixada por Tristan “PowerOfEvil” Schrage, que assinou com a Counter Logic Gaming para a próxima temporada. Fonte: maisesports
  11. Após ter anunciado Andy “Smoothie” Ta como o novo suporte da equipe, a Team Solo Mid revelou nesse domingo (25) que Kevin “Hauntzer” Yarnell está disponível para negociações e anunciou Sergen “Broken Blade” Çelik para a vaga na top lane. O atual atirador da equipe Jesper “Zven” Svenningsen confirmou em seu Twitter pessoal que continuará na equipe para a próxima temporada. Hauntzer entrou na equipe em novembro de 2015 e venceu três splits da LCS NA nesse período além do Rift Rivals 2017. Já Broken Blade não teve passagens por grandes equipes, começando sua carreira no time alemão Mysterious Monkeys. Sua passagem mais gloriosa foi pela Royal Bandits, onde venceu um Rift Rivals e ficou com o vice-campeonato da TCL, liga regional turca, duas vezes. Zven entrou na TSM em 2017 após ser vice-campeão do Mid Season Invitational com a G2 e-Sports onde perdeu o título para a SKT T1. O futuro de Alfonso “Mithy” Aguirre Rodríguez, quem vem atuando na bot lane com Zven desde 2016 ainda é indefinido. Assim, a escalação atual da Team Solo Mid para o próximo split da LCS NA será: Sergen “Broken Blade” Çelik (topo) Kevin “Hauntzer” Yarnell (topo) Jonathan “Grig” Armao (selva) Brian “TheOddOne” Wyllie (selva) Søren “Bjergsen” Bjerg (meio) Jesper “Zven” Svenningsen (atirador) Alfonso “Mithy” Aguirre Rodríguez (suporte) Andy “Smoothie” Ta (suporte) Ham “LustBoy” Jang-sik (suporte) Fonte: maisesports
  12. A SKT finalmente anunciou o lendário suporte Cho “Mata” Se-hyeong além de algumas mudanças em sua comissão técnica nesta segunda-feira (26). A organização já havia prometido que um novo suporte e mid laner seriam anunciados para completar a line-up de 10 jogadores dentro da organização. Recentemente, a SKT teve o anúncio da saída de 7 membros do time mas logo em seguida trouxe mais novos 5 jogadores de peso para a organização. A vinda de Mata para a SKT já era esperada pelos fãs do clube. Mata ficou conhecido no mundo inteiro ao ser MVP do Mundial de 2014, sendo o único suporte a conquistar o título de MVP de um Mundial. Após uma passagem pela China, Mata jogou no super time da KT, maior rival da SKT. Na equipe de Smeb, Mata foi campeão do 2° split da LCK 2018 mas não apresentou bons resultados no mundial deste ano. Além de Mata, a SKT também anunciou que Kim “Fly” Sang-chul estará entrando para a comissão técnica da equipe. O Coach já teve passagem pela RNG mas passou grande parte de sua carreira pela Jin Air Green Wings. Também ocorreu o anúncio que Lee “PooHManDu” Jeong-hyeon e Bae “Bengi” Seong-woong estão fora da staff. O nome de Kim “kKoma” Jeong-gyun não foi mencionado no anúncio, mas tudo indica que o treinador continua na SKT. Para finalizar, o time comentou que estarão anunciando mais um reforço para a comissão técnica em 2019. Como já dito antes, também é esperando o anúncio de um mid laner reserva para completar a line de 10 jogadores. Confira o elenco da SKT para 2019: Kim “Khan” Dongha – Top Laner Kim “Crazy” Chaehee – Top Laner Kang ‘Haru” Minseung – Jungler Kim “Clid” Taemin – Jungler Lee “Faker” Sang-hyerok – Mid Laner Park “Teddy” Jinsung – ADC Han “Leo” Gyeo-re – ADC Cho “Mata” Se-hyeong – Suporte Lee “Effort” Sang-ho – Suporte Fonte: maisesports
  13. A equipe sul-coreana Kingzone DragonX anunciou nesta segunda-feira (26) a line-up que defenderá a equipe na próxima temporada da LCK. Kim “Deft” Hyuk-kyu, Heo “PawN” Won-seok e Park “TusiN” Jong-ik são as novas contratações da equipe, qeu acabou não conseguindo renovar com Gwak “Bdd” Bo-seong. Deft e Pawn estavam atuando pela KT Rolster desde o final de 2016. A equipe tinha montado o “Time dos sonhos”, mas acabou ficando longe dos resultados esperados, conquistando apenas um título da LCK (segundo split de 2018). A KT era uma das favoritas no Mundial 2018 mas acabou caindo nas quartas e final para a Invictus Gaming, que viria a ser campeã do torneio. Já Tusin era suporte da Afreeca Freecs desde 2016 e seu resultado mais expressivo foi o segundo lugar no primeiro split da LCK 2018, quando sua equipe perdeu para a Kingzone. O jogador também foi para o Mundial junto a sua equipe e teve o mesmo final da KT Rolster, sendo eliminado ainda nas quartas de final. Disputa por Deft e saída de Bdd De acordo com o site Inven, a Kingzone não teve uma negociação fácil com Deft, já que o jogador estava sendo desejado por várias outras equipes. Fontes próximas ao site afirmaram que a equipe ofereceu o maior salário entre os atiradores da LCK, além de assegurar que o jogador será quem ganhará mais dentro da equipe. A equipe perdeu sua escalação titular completa nesta janela de transferências. Khan foi pela a SKT, Peanut para a Gen.G enquanto que GorillA foi contratado como novo suporte da Misfits. Pray e Bdd ainda não anunciaram por quais equipes jogarão na próxima temporada. Apesar de tantas baixas, os planos da equipe eram dar total prioridade para que Bdd ficasse na organização, e assim montar uma equipe em volta do jogador. Mesmo com os esforços, a equipe não conseguiu manter o mid laner na equipe. Alguns rumores indicam que o jogador deverá assinar com a KT Rolster para a próxima temporada. Escalação atual Com as contratações, a Kingzone completará a equipe com Kim “Rascal” Kwang-hee e Moon “Cuzz” Woo-chan. Ambos os jogadores eram reservas da equipe nesta temporada e jogaram vários jogos durante a temporada 2018. Confira como ficou a line–up final da equipe: Kim “Rascal” Kwang-hee – Top Moon “Cuzz” Woo-chan – Jungler Heo “PawN” Won-seok – Mid Kim “Deft” Hyuk-kyu – ADC Park “TusiN” Jong-ik – Support Fonte: maisesports
  14. O Flamengo anunciou mais um jogador sul-coreano para sua line-up de LoL. Han “Luci” Chang-hoon será o novo suporte da equipe e se juntará ao também sul-coreano Lee “Shrimp” Byeong-hoon, que renovou com a equipe. Luci tem experiência na Challenger Series da Coreia e já foi campeão da competição junto a Ever8 Winners, ainda no primeiro split deste ano. A equipe acabou não conseguindo a classificação para a LCK, pois perdeu a série de promoção para a Kongdoo Monsters. Na segunda metade do ano o sul-coreano se juntou a Winners, que também jogava na segunda divisão de seu país. Novamente o jogador chegou as finais do torneio, mas dessa vez acabou ficando com o vice-campeonato. O suporte é o terceiro sul-coreano da equipe chega para preencher a vaga deixada por Eidi “Esa” Yanagimachi, que deixou a organização recentemente. O Flamengo também anunciou a contratação de Leonardo “Robo” Souza para a top lane, além do estadunidense Jordan “Grey” Corby como Head Coach e o sul-coreano Seong “Reven”Sang-hyeon para a posição de analista. Com a contratação é esperado que o rubro negro já tenha finalizado sua escalação para a próxima temporada. O Flamengo conseguiu o acesso ao CBLoL na segunda metade do ano e logo em sua estreia na liga já chegou nas finais, onde acabou sendo derrotado pela KaBuM. Confira a line-up completa da equipe: Leonardo “Robo” Souza – Top Byeong-hoon “Shrimp” Lee – Jungler Lucca “Regrets” Cortes – Jungler Bruno “Goku” Miyaguchi – Mid Felipe “brTT” Gonçalves – ADC Han “Luci” Chang-hoon – Support Raul “Bressan” Bressan – Support Gabriel “Von” Barbosa – Coach Seong “Reven”Sang-hyeon – Analyst Jordan “Grey” Corby – Head coach Fonte: maisesports
  15. Finalmente a KT Rolster começou a anunciar novos nomes para a próxima temporada da LCK. A equipe sul-coreana anunciou na madrugada desta terça-feira (27) a contratação do mid laner Gwak “Bdd” Bo-seong e do suporte No “SnowFlower” Hoi-jong. Bdd foi uma das grandes estrelas da Kingzone DragonX. O jogador mostrou um desempenho invejável nas últimas temporadas e junto a sua equipe conquistou dois títulos da LCK. De acordo com rumores, a Kingzone iria fazer de tudo para manter o mid laner em sua equipe para o próximo ano, montando uma equipe em volta dele. Após não conseguir segurar o jogador, a equipe contratou Pawn, que recentemente havia deixado a KT Rolster. Já a contratação do sul-coreano Snowflower provavelmente será uma surpresa para todos. O jogador chega após atuar um ano na Turquia, defendendo a SuperMassive. Na região, o jogador mostrou um alto desempenho e junto a sua equipe garantiu os dois títulos da TCL em 2018. O suporte também acumula passagens Afreeca Freecs e Jin Air Green Wings, times famosos da LCK. Os jogadores chegam na KT Rolster para se juntar aos já veteranos Song “Smeb” Kyung-ho e Go “Score” Dong-bin, que renovaram seus contratos com a equipe. Vale lembrar que recentemente a KT perdeu quatro de seus jogadores. Ucal assinou com a AFreeca Freecs, Deft e Pawn assinaram com a KingzoneDragonX e Mata foi anunciado como novo suporte da SKTelecomT1. Com as contratações, só faltará a equipe anunciar um jogador para a posição de atirador. Confira a escalação completa: Song “Smeb” Kyung-ho – Top Go “Score” Dong-bin – Jungler Gwak “Bdd” Bo-seong – Mid No “SnowFlower” Hoi-jong Support Fonte: maisesports
  16. A poucos meses do fim do ano, a W7M vem com forte investimento no cenário competitivo de eSports. Recentemente anunciaram parceria com a Redemption POA, equipe classificada para o 1º split do CBLOL de 2019. Também já são uma equipe consolidada no CS:GO, e agora mais do que tudo, possuem uma lineup de peso para o competitivo de Fortnite. Imagem: maiesports Com nomes já conhecidos pela comunidade do game, a W7M anunciou na última terça-feira (13) em seu time Patrick “Blackoutz” Garcia da Silva, reconhecido pelos seus recordes dentro do jogo, como: maior número de kills em partidas solo, duo e squad. Todos esses recordes são apenas no servidor brasileiro. No esquadrão, o time ainda conta com Igor “DrakonZ” Amorim, antigo jogador de H1Z1. Mateus “VERO” Veronesi, que já é conhecido pela comunidade de battle royale também por participar de competições de PUBG. E por fim, o campeão brasileiro de Team Fortress 2 Pedro “pfzin” Freitas. O competitivo de Fortnite no Brasil ainda está sendo montado, times estão formando lineups e investindo em jogadores, mas cada vez mais vemos o desenvolvimento desse cenário. Times de peso como INTZ, Team One e agora a W7M estão aguardando o início das competições nacionais. Fonte: maisesports
  17. Fonte e fotos: playoverwatch Acompanhe a Copa Mundial de Overwatch em tempo real, de qualquer perspectiva, com o Reprodutor da Copa Mundial de Overwatch. Pegamos as ferramentas dos observadores profissionais de e-sports no palco e colocamos nas suas mãos em casa para você controlar a sua experiência de espectador. Assista a confrontos ao vivo junto com centenas de milhares de outros jogadores de todo o mundo, dos pontos de vista que forem mais importantes para você: primeira ou terceira pessoa, de cima, de baixo, etc. Quer saber como a Widowmaker da Coreia do Sul acertou aquele tiro do nada na Mercy da Austrália? Basta assistir da perspectiva dela enquanto mirava um tiro com precisão de pixel, garantindo a eliminação, e depois fazer a câmera voltar diretamente para a luta principal entre as equipes na carga. Nao perca nenhum instante Acabou perdendo o jogo? Não se preocupe: nosso sistema de replay resolve para você. Os replays da Copa Mundial de Overwatch ficarão disponíveis por um mês após a transmissão original da partida. Assim, você pode analisar quantos jogos quiser durante o teste da versão beta do recurso. Instruções de configuração Passos para iniciar o Reprodutor da Copa Mundial de Overwatch: Abra o aplicativo Battle.net Clique em Overwatch No menu suspenso Região/Conta, selecione Reprodutor da Copa Mundial de Overwatch Instale no diretório desejado Clique em reproduzir! Atenção: É preciso ter uma licença de jogo de Overwatch para executar o Reprodutor da Copa Mundial de Overwatch. Fonte e fotos: playoverwatch Atalhos de teclado Confira alguns atalhos de teclado básicos úteis que dão uma ideia do que você pode controlar na sua experiência de visualização. N: Mostrar/ocultar controles de mídia Roda de rolagem para cima: Aumentar a velocidade de reprodução Roda de rolagem para baixo: Reduzir a velocidade de reprodução CTRL-P: Reproduzir/pausar Barra de espaço: Alternar entre as visões em primeira e terceira pessoa Clique esquerdo/direito: Passar das visões em primeira e terceira pessoa para a câmera livre WASD: Movimentação habitual da câmera Q e E: Mover câmera para cima/para baixo F1-F12: Acompanhar jogadores (corresponde à lista de jogadores nos controles de mídia) 0: Travar no objetivo CTRL-I: Mostrar sobreposição do mapa CTRL1-CNTRL9: Salvar favoritos 1-9: Restaurar favoritos da câmera Fonte e fotos: playoverwatch A lista completa de atalhos pode ser acessada no jogo em Opções > Controles > Assistir. Esses atalhos podem ser completamente personalizados de acordo com suas necessidades, assim como os outros de Overwatch. Dicas dos profissionals Então você já dominou os atalhos de movimentação e as mudanças de câmera? Agora temos algumas dicas profissionais do observador da Liga Overwatch Maikol Brito sobre o que ele busca durante as partidas e como gravar replays épicos. Se tiver interesse em saber como um jogador usa um herói, não deixe de acompanhá-lo, mas também acompanhe o jogador adversário de mesma função para entender as diferenças de estilo. Para ter a melhor visão ao usar a sobreposição de mapa (CTRL-I), posicione a câmera bem no alto e olhe diretamente para o chão. Assim, você poderá recriar a visão de mapa aéreo ao usar a ferramenta. Fonte e fotos: playoverwatch A sobreposição de mapa ajuda você a entender os pormenores das lutas entre equipes. Os ícones de cada herói mostram indicadores de status que dizem exatamente o que está acontecendo com aquele jogador. Fonte e fotos: playoverwatch Se colocar câmeras estáticas em locais diferentes, você poderá ver as lutas de outra perspectiva e ficará mais fácil de entender as rotações nas equipes. Não deixe de marcar os locais como favoritos a cada partida nova! Se você for criar trechos de destaque para vídeos, não abuse da câmera lenta. Para impressionar mais, desacelere os momentos impactantes de uma jogada ou luta entre equipes. Agora que você já leu tudo sobre o novo recurso, não perca o primeiro confronto da Copa Mundial de Overwatch ao vivo da BlizzCon, em 2 de novembro! Sexta-feira, 2 de novembro 16h15 - 18h15 (Brasília) – Quartas de final 1: Estados Unidos x Reino Unido 18h15 - 20h15 (Brasília) – Quartas de final 2: França x Canadá 20h15 - 22h15 (Brasília) – Quartas de final 3: China x Finlândia 22h15 - 0h15 (Brasília) – Quartas de final 4: Coreia do Sul x Austrália Sábado, 3 de novembro 13h30 - 15h30 (Brasília) - Semifinal 1 15h30 - 17h30 (Brasília) - Semifinal 2 17h30 - 19h30 (Brasília) - Disputa do bronze 19h45 - 22h30 (Brasília) - Disputa do ouro Beta hoje, recurso no futuro Note que esse recurso ainda está em versão beta. Ao testar o beta do Reprodutor da Copa, você nos ajuda a trabalhar na tecnologia necessária para levarmos essa funcionalidade a mais plataformas e tipos de partidas no futuro. Por isso, contamos com as suas críticas e sugestões e pedimos que nos informe de qualquer erro aqui. Obrigado por jogar, herói! Esperamos que goste do recurso, e nos vemos na BlizzCon! Fonte e fotos: playoverwatch
  18. Os blumers anunciaram sua nova line-up já para disputar a SuperLiga 2018, e a escalação vem recheada de novos nomes no cenário. Outra novidade é que Gabriel “Turtle” Peixoto, que até então era caçador da equipe, será o novo treinador da CNB. Em um vídeo postado em primeira mão no grupo oficial da equipe no Facebook, Turtle explicou o motivo da escolha de cada jogador e também afirmou que ser coach já era algo que ele vinha pensando há um bom tempo. Após dispensar Robo, Rakin, Baiano e Brucer, a CNB resolveu apostar em vários novos talentos para sua nova formação, talentos esses que dividirão posições com nomes já respeitados dentro da equipe. Para a top lane a equipe contratou Francisco “Duclou” Duclou Rito, que jogava na Submarino Stars mas já teve passagens pela 5Fox e até pela CNB Trinity White. Para o mid a equipe optou por Eduardo “Aslan” Nunes , ex-Operation Kino. Para fechar o novo elenco, a equipe contratou Gabriel “Hawk” Gomes de Araujo, que atuou pela WP Gaming no Circuito Desafiante. Os jogadores irão se juntar com os já velhos de casa Yan “Yampi” Petermann, Pablo “pbo” Yuri, Benjamin “Hy0g4” de Barb e Vinícius “bydeki” Hideki. Confira como ficou a escalação completa da equipe: Francisco “Duclou” Duclou – Top Yan “Yampi” Petermann – Jungler Benjamin “Hy0g4” de Barb – Jungler Eduardo “Aslan” Nunes – Mid Pablo “pbo” Yuri – ADC Vinícius “bydeki” Hideki – ADC Gabriel “Hawk” Gomes – Support Gabriel “Turtle” Peixoto – Coach A SuperLiga 2018 começará no dia 09 de novembro. Fonte: maisesports
  19. A INTZ venceu FURIA por 2 a 1 e saiu campeã do classificatório norte-americano da PLG Grand Slam 2018. Com o título, a equipe brasileira garante vaga para a PLG Grand Slam que será disputado em Abu Dhabi no mês de dezembro. A INTZ chegou na final após vitória de 2 a 0 contra os americanos da Vireo.pro. Foto: twitter Escolha da INTZ, a Mirage foi o primeiro mapa da final. A FURIA começou no lado Contra-Terrorista, levou vantagem na primeira metade e foi para o lado atacante vencendo por três pontos. Na segunda metade, a FURIA permitiu apenas quatro pontos da equipe de João “felps” Vasconcellos e venceu por 16-10. Na Overpass, a INTZ precisava vencer para levar o confronto ao mapa decisivo. O jogo disputado deixou o coração dos torcedores batendo mais forte e ansiosos por uma vitória do seu time. Com dois resultados iguais nas duas metades, a INTZ venceu por 16-14 e levou a decisão para a Cache. No terceiro mapa, a INTZ começou fechando as portas para a FURIA: onze rodadas vencidas seguidas. Ao final da primeira metade, a FURIA recuperou o tempo perdido e venceu os últimos quatro pontos. Com a vantagem adquirida na primeira metade, os intrépidos garantiram facilmente a vitória por 16-6. A PLG Grand Slam será realizada entre os dias 12 e 16 de dezembro, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos. O campeonato contará com 16 participantes e uma premiação total de 100 mil dólares. Fonte: maisesports
  20. Nessa sexta-feira (02), os fãs de Counter-Strike: Global Offensive do Brasil foram pegos de surpresa com o anuncio de que a OpTic Gaming está encerrando as atividades com sua line-up feminina de CS:GO, a OpTic Gaming Brasil. Segundo as jogadoras, o uso de hack por um jogador da OpTic India em uma partida presencial pode ter sido vital para o fim do contrato com as jogadoras brasileiras. O anúncio foi realizado pelo Twitter oficial da equipe, onde os torcedores brasileiros demonstraram grande indignação com o caso, já que as jogadoras vinham alcançando bons resultados e não têm nenhuma ligação com os jogadores indianos. Foto: twitter Segundo publicações nos perfis das jogadoras, a escalação que estava invicta enquanto defendendo a OpTic continuará unida e irão disputar seus próximos campeonatos defendendo o “Time das Lindas”. Essa line-up venceu o torneio da GameXP e a Brasil Game Cup(BGC) em um período de um pouco mais de um mês. Confira a escalação mais vitoriosa do CS:GO feminino do Brasil: Camila “cAmyy” Natale Pamella “pan” Shibuya Gabriela “GaBi” Maldonado Bruna “bizinha” Marvila Juliana “showliana” Maransaldi Guilherme “walck” Moreno (coach) Fonte: maisesports
  21. Fonte: lolesports Os Blumers estão apostando alto na renovação de sua equipe de LoL e neste sábado anunciaram a saída de quatro de seus oito jogadores. Rafael “Rakin” Knittel, Leonardo “Robo” Alves , Gustavo “Baiano” Gomes estão deixando a CNB enquanto que Bruno “Brucer” Pereira, retornará a Team oNE já que estava apenas emprestado. Rakin, Robo e Baiano entraram na equipe após o fim do segundo Split de 2017. Os jogadores disputaram a SuperLiga naquele mesmo ano, mas acabaram terminando na última colocação de seu grupo com apenas uma vitória. Em 2018 Brucer foi emprestado aos blumers pela Team oNe. O jogador que tinha acabado de ser campeão do CBLoL, iria dividir a posição de mid laner com Rakin. As mudanças deram certo para 2018 e a CNB, mesmo desacreditada, conseguiu chegar nos playoffs dos dois splits deste ano, terminando em quarto e terceiro lugar, respectivamente. “Este é o primeiro passo do novo CNB. Nunca tivemos medo de arriscar para um bem maior, portanto, chegou a hora de tentar contribuir ainda mais para o cenário brasileiro. O próximo passo está perto a ser dado e contamos com o apoio de todos vocês, Blumers. Na segunda-feira (5), traremos mais novidades.”, comentou a organização. No momento, a CNB conta com os seguintes jogadores em sua line-up: Gabriel “Turtle” Peixoto – Jungler Yan “Yampi” Petermann – Jungler Vinícius “bydeki” Hideki -ADC Pablo “pbO” Yuri – ADC Fonte: maisesports
  22. A Riot Games anunciou na noite desta quarta-feira (30) que a partir de 2019, a CLS (América Latina do Sul) e LLN (América Latina do Norte) se juntarão, formando uma única competição, que será sediada em Santiago, no Chile. De acordo com a empresa, a separação das regiões em 2016 tinha o intuito de aumentar a relevância, audiência e competitividade em cada uma das ligas. Apesar de ter conseguido alcançar resultados, foi em escala menor do que se era esperado. Com a junção das ligas, a Riot espera melhorar a experiência para os expectadores, maior competitividade na região e mais oportunidades para as equipes. A nova liga contará com a participação de oito times. “Hoje acreditamos que dividir esforços, recursos e fãs em duas cenas que compartilham tanto não é o melhor caminho. Com isso em mente, toda a equipe de eSports estará 100% focada no fortalecimento de um cenário consolidado para a América Latina.” As duas regiões participaram do MSI 2018 e tiveram como representantes a Kaos Latin Gamers (CLS) e Rainbow7 (LLN). Ambas as equipes foram sorteadas no grupo A, mas não conseguiram passar para a próxima etapa. A R7 ficou com três vitórias e três derrotas e a KLG ficou com duas vitórias e quatro derrotas.